fbpx

Você sabe qual é o seu propósito de vida?

Não vale responder ser mãe! rsrsrsrs

Ao pesquisar no dicionário a palavra “propósito” descobrirá que essa palavra tão usada significa intenção (de fazer algo); projeto, desígnio. 

Ou ainda aquilo que se busca alcançar; objetivo, finalidade, intuito.

Quando se trata da sua existência, encontrar seu propósito de vida significa encontrar sua grande missão, o objetivo maior que irá guiar todas as suas decisões durante a vida.

Você precisa dar tempo ao tempo, só assim será capaz de encontrar seu propósito de vida.

Sim, sei que provavelmente está cansada de ouvir sobre isso, já que está na moda falar sobre propósito e as pessoas não falam há muito tempo sobre isso. 

Dois fatores que impediam pessoas como você de refletir e falar sobre propósito de vida:

  1. As pessoas nunca se perguntaram o verdadeiro sentido do trabalho em suas vidas;
  2. Até hoje as pessoas nunca perceberam que o trabalho precisa ter sentido para fazer parte da sua vida.

Mas ainda bem que isso mudou e agora você tem a oportunidade de descobrir como dar sentido a sua vida e criar metas além da maternidade.

Por isso continue a leitura para descobrir:

-Como a maternidade me ajudou a encontrar o meu propósito de vida;

-Porque mudar de opinião pode ser a peça que falta para você encontrar seu propósito;

-Como focar nos seus objetivos e não se distrair no processo de construir sua história;

-Como se descobrir como mulher além do papel de mãe te ajudará com seu propósito de vida.

Bianca, vestindo uma blusa branca e sorrindo.
Bianca, vestindo uma blusa branca e sorrindo.

Como a maternidade me ajudou a encontrar o meu propósito de vida:

Eu sou uma pessoa que trabalhei desde muito nova, sou filha de livreiro/comerciante, vivia rodeada de livros, negociando descontos com os clientes e cuidando do caixa da livraria.

Logo que entrei na faculdade de psicologia comecei os estágios, trilhei o caminho da área de recursos humanos, sonhava em entrar em uma empresa grande, ter um plano de carreira e um dia virar uma grande executiva. 

Casar também estava entre os meus objetivos, embora a maternidade constasse nos meus planos bem mais distantes. 

Como boa executora que sou, saí numa corrida ensandecida onde eu era minha própria competidora. 

Terminei uma faculdade de 5 anos em tempo recorde, me mudei de cidade em busca deste trabalho tão sonhado e me casei logo em seguida. 

Aos 21 anos eu estava em uma grande empresa, trabalhando na área de recursos humanos e casada. 

Claro que logo fui percebendo que o sonho era bem mais florido que a realidade; que crescer profissionalmente seria bem mais difícil do que aparentava e que casar era bom, mas também era um chamado para aprender a equilibrar os sonhos de cada um. 

Esposa de engenheiro que atua em obras, minha vida passou a ser guiada pela trilha sonora de Dominguinhos: “minha vida é andar por este país, pra ver se um dia eu descanso feliz…”. 

Logicamente a ideia de crescer dentro de uma única empresa, seguindo seu plano de carreira, foi por água abaixo. 

Mas, sempre tive o perfil de correr atrás do que eu queria, me mantive trabalhando a cada novo pouso nosso e sempre em projetos da área de recursos humanos. 

Até que algo que eu nunca planejei e na verdade adiei o quanto eu pude começou a fazer parte dos meus pensamentos. 

O calendário já marcava 5 anos de casamento, já estávamos na nossa 5a casa, a vontade de ampliar a família começou a falar mais alto. 

Eu estava desempregada e engravidar neste momento era um convite para parar e focar na vida pessoal. 

Sou de uma geração que não foi criada para isso, meninas da minha idade cresceram escutando que deveriam ser independentes, jamais depender de um homem; então é claro que o temor de nunca mais conseguir retornar ao trabalho, me rondou por algum tempo.

Mas decisão é decisão e quando eu tomo as minhas, costumo ir até o fim. 

Em menos de 3 meses já estava grávida do meu filho mais velho, o Davi. 

Mas, como o medo me rondava, defini como deadline ficar com Davi o seu primeiro ano de vida e depois retornar ao trabalho. 

Isso antes de perceber que voltar para o esquema 44h/semanais nunca mais se encaixa naquilo que eu almejava como mãe e também antes de entender que o meu sonho de ser uma grande executiva não era bem o meu propósito de vida. 

Quis o destino que eu encontrasse na maternidade a minha melhor versão profissional. 

Calma, antes de chegar nessa minha versão, foi necessário aparecer mais um filho no caminho. 

E como o acaso sempre conspira, a notícia do novo filho caiu sobre nós exatamente na semana de aniversário do primeiro ano do Davi. 

Você se permite mudar de opinião? 

Lucas, meu filho mais novo, que me mostrou meu propósito de vida, pois foi com essa segunda maternidade que eu realmente entrei em contato comigo mesma; foquei no meu processo de autoconhecimento. 

Vivi uma eterna contradição entre as decisões que tomei na minha primeira maternidade e o caminho que eu queria seguir nesta segunda oportunidade.

  • Você já se pegou fazendo escolhas diferentes em situações semelhantes porque viveu novas experiências e mudou?

Por isso é tão importante você conviver com outras mães e observar a beleza de se compartilhar as delícias e dificuldades da maternidade com quem está passando por este mesmo momento. 

Aceitar que sozinha você não consegue “dar conta”, que precisa de apoio para retomar suas funções além da maternidade e tudo bem. Você precisa aceitar que ninguém precisa dar conta de tudo sozinho. 

Quando meu propósito apareceu veio junto com uma energia muito grande de fazer meu próprio trabalho.

Foi assim que virei primeiro uma autônoma da área da psicologia, atendendo mães em puerpério (período logo após o parto até mais ou menos 2 anos de vida da criança).

Em seguida uma empreendedora digital mesclando meus conhecimentos enquanto psicóloga, coach e mãe no projeto Renascendo após a maternidade. 

Tudo isso vivendo o meu próprio puerpério e sendo mãe de duas crianças pequenas. 

Porque quando você descobre seu propósito de vida é capaz de fazer qualquer coisa, dar conta de qualquer coisa para realizá-lo. 

Tenha paciência! Construir sua história leva tempo, você precisa focar no que realmente deseja.

À medida que seus filhos forem crescendo e se desenvolvendo, você terá mais espaço para focar no seu lado profissional e conquistar novas oportunidades.

Você não precisa desistir de tudo comece aos poucos, fazendo o seu melhor porque com o tempo você colherá os frutos do seu esforço.

Hoje eu vivo uma vida integral, maternidade e trabalho andam junto para mim, o meu negócio prospera à medida que as crianças vão crescendo. 

A vida não é uma corrida e nada acontece do dia para a noite, é preciso prosperar e ter paciência tanto com os filhos, quanto com os negócios. 

Você já ouviu aquela frase famosa nos negócios que diz que a média para uma empresa ter lucro é de 2 anos?

Agora imagine um negócio que segue o ritmo de uma família com pausas para refeições, banhos, sonecas, passeios, separar as brigas entre irmãos, observar os novos aprendizados e dar o colo quando necessário.

Parece complicado, mas já entendi que é preciso dar tempo ao tempo. 

Por isso continuo investindo e crescendo apoiando outras mães em suas próprias buscas.

Como se descobrir como mulher além do papel de mãe te ajudará com seu propósito de vida.

Você deve seguir em frente, fazer o seu melhor a cada dia para alcançar seu propósito.

Tem dias que não é humanamente possível se dedicar 100% aos negócios, aos seus sonhos ou sua carreira… Mas o segredo é fazer o melhor que puder naquele dia. 

Todas as terças às 20:00h está disponível um novo texto aqui no blog com dicas para você lidar com os conflitos do dia a dia e guiar você na sua jornada para reencontrar a mulher que você é após se tornar mãe.

Por isso te convido a conhecer a Jornada Mulher Além de Mãe, nessa jornada você descobrirá em 4 semanas como lidar com a sua maternidade sem se abster de outras áreas da vida.

Também se tornará capaz de transformar seu dia a dia de mãe em uma realidade leve, deixando de lado  os padrões impostos pela sociedade por onde permeia a  culpa, tornando cada vez mais simples para você descobrir seu propósito de vida e fazer o que for necessário para cumpri-lo.

Compartilhe nos comentários se você faz parte do grupo de mulheres que já descobriram seu propósito de vida ou se você faz parte do outro grupo, o das mulheres que ainda estão nessa jornada, para que possamos trocar nossas experiências nos comentários.