fbpx

O papel do pai na criação do bebê.

Você já se perguntou quais expectativas que coloca no companheiro em relação ao papel de pai? Ou ainda o papel dele na relação mãe-bebê?

Com certeza você quer um pai presente para seu bebê, um pai que chegue junto e faça seu papel, é isso que você espera do seu companheiro.

O papel de assumir a mesma responsabilidade que nós assumimos, não apenas ajudar. 

Esse assunto é de extrema importância e sua abordagem é imprescindível, inclusive tenho um capítulo inteiro do meu ebook dedicado aos pais. 

Por isso continue a leitura para descobrir:

-Existe um limite em relação ao apoio do pai?

-De que forma a cultura machista do país é responsável por frustrar suas expectativas em relação ao papel do pai?

-Como você pode ajudar o pai a assumir seu papel.

Pai brincando na natureza, estão rodeados de folhas em tons outonais.
Pai brincando na natureza, estão rodeados de folhas em tons outonais.

Existe um limite em relação ao apoio do pai?

Durante uma entrevista Laura Gutman disse: “Depositamos no pai toda e qualquer necessidade de apoio que queremos com a criança, mas que não é somente esse pai que deve nos apoiar, pois se assim for, também estaremos o sufocando. 

Ele também não terá o tempo dele de alívio e pode acabar fazendo outro caminho no fim do dia, sem querer ir para casa. 

É preciso uma tribo para cuidar de uma criança (quem dirá de 2 ou 3, né?) e colocar nos ombros dos pais essa responsabilidade de apoio, também não é justo.”

A partir disso você se depara com a mesma questão, ser necessário reunir outras mulheres e mães para uma apoiar as outras.

A cultura machista e a responsabilidade de frustrar suas expectativas em relação ao papel do pai

Agora para e pense em relação ao papel da figura paterna: Quando você se dedica a analisar toda a cultura machista que por anos e anos fez parte da educação dos países de hoje, é possível perceber que é preciso mais do que querer, para este pai assumir o papel que lhe cabe. 

Mesmo que você tenha um pai que assume seu papel dentro de casa, você acha possível, por mais participativo que este homem seja, que ele por si só pense em:

  • Como seria bom variar o lanche do filho e se dispor a ir para a cozinha fazer lanches diferentes para a criança? 
  • Já imaginou um pai que tenha pesquisado sobre tipos de fraldas ou qual a melhor forma de começar a introdução alimentar do seu filho?
  • Será que existe algum pai que tem a iniciativa de ir atrás de um chocolate sem leite, para fazer um ovo de páscoa caseiro para seus filhos que tem alergia ao leite de vaca, como eu mesma já fiz? 

Enfim, consegue ver como é complexa estas situações?

Por mais que esse homem queira realmente assumir sua paternidade e ser um “paizão”, ele não foi criado para pensar nesta paternidade e tudo que envolve cuidar de uma criança. 

Como você, como mãe, pode ajudar esse pai a assumir seu papel? 

Você, ao contrário, provavelmente cresceu cuidando de bonecas e pegando como modelo o que sua mãe fazia com você no dia-a-dia.

Não é impossível que esse pai assuma responsabilidades, mas você precisa ter muita calma e paciência e não desistir. 

Se for necessário divida tarefas e conversas, mas não tenha a desistência como uma opção.

O pai precisa assumir o seu papel aos poucos para se tornar responsável por essa criança. 

Duas atitudes que você precisa começar a ter para que ele assuma o papel de pai: 

  1. Dar o espaço que ele precisa, 
  2. Deixá-lo tomar suas próprias decisões, mesmo que não concorde.

Além de que toda a sociedade precisa compreender que só com a mudança dessa cultura machista vamos entregar pais mais instintivos para o futuro, que saibam como lidar com seus filhos. 

E lembre-se: Vocês dois são os principais responsáveis, mas não precisam e devem ser os únicos.

Compartilhe nos comentários se seu companheiro já assume suas responsabilidades como pai!