fbpx

A mulher após a maternidade: mudanças e como se conectar com a mulher que você se tornou.

A maternidade mudou completamente a forma como me vejo, precisei reavaliar meus valores, minha vida e me dar a oportunidade de me redescobrir. 

E com você? A maternidade mudou alguma coisinha por aí, que você ainda não sabe bem o que, mas está sem saber como lidar com essas mudanças e com a mulher que você se tornou?

Então leia até o final para descobrir o passo a passo para você se redescobrir após a maternidade e se tornar capaz de lidar com todas as mudanças, principalmente as emocionais.

De repente tudo muda:

Eu não sei se você que está lendo me conhece, então preciso me apresentar: Sou Bianca, mãe de dois lindos garotinhos, Davi e Lucas, psicóloga e coach de mães, idealizadora de um projeto chamado “Renascendo após a maternidade”.

Antes da maternidade me apresentava mais ou menos assim: “Sou Bianca, casada, trabalho com recursos humanos e batalho para ter um cargo de liderança em uma grande organização.” 

Hoje dou palestras e escrevo sobre maternidade, pois desejo levar auxílio, apoio e empatia à mães que passam por este momento de redescobertas. 

Mas a maternidade mudou meus valores, apresentou novas prioridades que me fizeram transformar minha carreira. 

Como as mudanças emocionais afetam sua experiência como mãe.

As transformações que a maternidade nos apresenta são muitas, desde as mudanças físicas neste corpo que abrigou outro pelo período de 9 meses, passando pelas mudanças hormonais que oscilam e nos deixam um tanto quanto desnorteadas, até a que quero focar aqui, que são as mudanças no estado emocional desta nova mãe. 

Em um puerpério imediato, também conhecido como pós-parto, tudo isso se mistura fazendo com que aqueles primeiros dias sejam de muita confusão mental, alternância de momentos alegres por ter aquele filho nos braços e de momentos tristes pelo que foi perdido a partir do nascimento daquele bebê.  

Isso é o famoso baby blues, e dificilmente existe uma mãe que não tenha vivenciado estas contradições.

À medida que o tempo passa, as mudanças físicas e hormonais vão se acomodando, porém, o emocional pode continuar sendo um grande fator para seu adoecimento como mãe, podendo gerar angústias, ansiedades e também a depressão pós-parto.

Motivos para esse adoecimento emocional após a maternidade não faltam: 

  • Dificuldades em se adaptar à nova rotina de vida; 
  • Frustrações com a maternidade idealizada na gestação; 
  • Sentimentos ambíguos com relação à maternidade; 
  • Contato com nossos sentimentos e lembranças antes não acessados; 
  • Mudanças na relação conjugal; 
  • Perda da identidade e individualidade; 

Poderia passar o texto inteiro citando outros fatores que contribuem para esse adoecimento. 

Mas, e se houvesse uma forma de passar por todos esses desafios de uma forma mais tranquila, segura e confiante? E se fosse possível vivenciar este momento, com todas essas dúvidas, sem tanto sofrimento e angústias? 

Posso te afirmar que há uma única forma de lidar com tantas transformações, sem necessariamente adoecer e parar sua vida após a maternidade, e o nome dela é: AUTOCONHECIMENTO.

O autoconhecimento é um processo constante.

Nunca nos conheceremos a ponto de sabermos todas as respostas, pois somos seres em constante evolução. 

Porém, a partir do momento que nos permitimos nos conhecer (entrar em contato com os nossos sentimentos; entender a origem de alguns medos; levar para a consciência o que desejamos fazer da nossa vida; sonhar e avaliar o que é preciso para tornar-se realidade…) vamos lidando com os desafios que a maternidade nos coloca de uma forma mais amena.

Só assim você será capaz de tomar decisões conscientes, seguras e SUAS. 

Além de entender os momentos e segurar a ansiedade de voltar a ser quem era antes (embora, eu tenha que te contar que isso não mais acontecerá, você é outra agora). 

4 perguntas que você precisa fazer para se redescobrir após a maternidade:

Sugiro que pegue um papel e caneta, tire um momento para refletir sobre essas perguntas e que escreva suas respostas. Já que a escrita é uma ótima forma de aliviar nosso furacão emocional puerperal. 

  1. O que guia as minhas decisões hoje?

Provavelmente você não sabe, mas são os nossos VALORES, que guiam nossas decisões. Essa palavra é sempre muito dita, mas pouco explorada. 

Você sabe quais são os seus valores? Só para citar alguns: comprometimento com o próximo, comprometimento consigo própria, honestidade, rotina, desafios, sucesso, respeito, contribuição, segurança, fama, compaixão, liberdade, mudanças, organização, estabilidade, previsibilidade, individualidade, excelência, poder.

São exatamente os valores que mais mudam após a maternidade, justamente por serem os fatores que guiam as nossas decisões. 

Para deixar mais didático, vou usar meu próprio exemplo: Eu trabalhava com recursos humanos e batalhava para ser uma executiva de sucesso em uma grande organização. 

Por aí, percebe-se que eram valores importantes para mim: sucesso, poder, desafios, reconhecimento. 

Porém, para alcançar isso, eu tinha que trabalhar no mínimo 40 horas semanais, viajar a trabalho, não presenciar a rotina diária dos meus filhos, dentre outras coisas que após o nascimento deles deixou de fazer sentido para mim. 

Valores como presença subiram na minha hierarquia e hoje fazem mais sentido do que o sucesso, por exemplo. 

Todos nós temos nossa hierarquia de valores e, a partir do momento que descobrimos quais são e em que ordem estão, fica mais fácil tomar decisões difíceis em nossa vida.  

  1. Hoje, abri os olhos e, apesar da noite não ter sido tão boa, me levantei disposta por … ?

O que faz com que você se levante todos os dias feliz e disposta, mesmo que sua noite tenha sido com um bebê pendurado no seu peito ou enfrentando a crise da angústia e separação? 

Eu sei, a primeira coisa que você pensou foi o SEU BEBÊ. 

Mas, te convido a ir para uma superfície mais profunda, seu bebê faz parte da sua vida, mas para estar feliz e para fazê-lo feliz você precisa de algo a mais; chamamos isso de PROPÓSITO DE VIDA. 

Para te ajudar nesta resposta, peço que reflita: quando você estiver bem velhinha, sentada com os netos no colo, quais histórias você deseja contar a eles? Qual terá sido o propósito de toda a sua vida? 

  1. Que sonhos habitam dentro de você?

Todos nós sonhamos, porém a grande maioria das pessoas não dá crédito aos próprios sonhos. E aí, não há como torná-los realidade. 

Os sonhos estão no mundo da imaginação, torná-los realidade é questão de trazer para o concreto e planejar o que é preciso para chegar lá. 

Quais são os seus sonhos? É importante salientar que alguns sonhos deixam de fazer sentido após a maternidade e que outros podem ser adaptados à nova realidade de vida. 

Mas, desistir não é uma opção viável para quem tem consciência de onde quer chegar. 

  1. Você caminha para onde?

Pode parecer estranho te perguntar isso agora, no auge da sua maturidade, quando você já tem uma família constituída, mas preciso perguntar: Você sabe para onde está indo? 

Sendo mais clara, quais são seus OBJETIVOS de vida? Tem uma passagem do livro Alice no país das maravilhas que diz: “Quando não se sabe para onde vai, qualquer caminho serve.”

O que mais observo em minha prática profissional são mães que se sentem perdidas justamente por não terem parado para refletir qual é o SEU caminho. 

Tentamos a todo custo nos encaixar nos padrões “vendidos” pela sociedade ao invés de nos preocuparmos em encontrar o nosso próprio caminho. 

Então, agora te pergunto:  você está indo para onde?

Dedicar tempo para a autorreflexão

Eu espero que este texto tenha despertado você para a necessidade de se autoconhecer para vivenciar uma maternidade mais consciente, tranquila e segura. 

Tudo o que você precisa para se redescobrir após a maternidade está dentro de você.

Me conte nos comentários se você vai para de levar a vida no estilo Zeca Pagodinho, apenas “deixando a vida te levar”, e finalmente dedicar um tempo para a autorreflexão.