fbpx

A culpa materna e suas nuances

É muito comum depois da maternidade que as mães passem a nutrir um sentimento que já existia, mas se torna muito mais forte: a culpa materna.

Seja por realizar alguma atividade ou até mesmo deixar de realizar em função dos filhos, automaticamente vem o sentimento de culpa, nesse caso chamado de culpa materna.

Isso está relacionado com as expectativas sociais que são esperadas por uma mãe, o que aumenta a pressão em torno do assunto.

Mas, afinal, como lidar com isso? E como viver de forma mais tranquila, sem se importar tanto com cobranças externas? Vamos falar um pouco disso nesse texto.

Como a culpa vem…

Imagine que você deixa de dar atenção ao seu filho para fazer algo para você mesma, como ir ao cabeleireiro, dormir algumas horas a mais, trabalhar ou sair com amigos. 

E aí vem o sentimento de culpa, pois no imaginário da sociedade é a mãe que deveria estar cuidando de seu filho pequeno, dando a proteção necessária e educando. E não deixando para outra pessoa cuidar enquanto está se divertindo de alguma forma ou pensando nos seus interesses primeiro.

Logo vem a culpa materna, que te faz se arrepender de ter feito o que fez e pensar seriamente se fará novamente.

A principal razão de toda essa culpa é uma espécie de crença coletiva ou pressão social de que a mãe que é sempre responsável pela criação dos filhos. O que, além de gerar culpa, cria frustrações desnecessárias no dia a dia.

Olhando essa situação, acabamos esquecendo de algo fundamental, que é a característica individual de cada pessoa. A mulher que acabou de ser mãe é uma pessoa com desejos, vontades, sonhos e características. Com a maternidade é criada a pressão que parece fazer com que isso não importe, já que só o que o bebê está querendo passa a ser importante. O que sempre vai gerar frustrações.

Como lidar com a culpa materna

Em primeiro lugar é necessário refletir que você, mãe, é uma pessoa com seus desejos e vontades e não deixar isso sumir por conta da maternidade. Filhos têm pai, avós e familiares que também podem auxiliar nos cuidados necessários, não cabendo somente para as mães a responsabilidade. É a chamada rede de apoio.

Então na medida que vai deixando seus filhos com outras pessoas da família ou de confiança, aos poucos você também vai se sentindo confortável para sair mais sem a presença de seu bebê. O autocuidado é fundamental para sua saúde e nesse momento você merece também muita atenção.

Você, mãe, deve aproveitar a maternidade, o momento novo que está acontecendo em sua vida. Mas sem jamais esquecer que também é um ser individual. A culpa materna também pode afetar nossos filhos, já que eles vão perceber que você está mais quieta, triste e chateada por não conseguir ter um tempo só seu. Eles também vão sentir isso.

Com esse pensamento e com autoconhecimento, você vai entender ainda mais o lugar que ocupa nesse cenário e como assumir as responsabilidades que são necessárias nesse momento.

Assim como entender seu papel no mundo e buscar atividades que quer fazer em momentos que achar apropriado. Não pense que é 100% responsável o tempo todo porque isso só vai prejudicar sua saúde mental.

Você já se sentiu assim? Como tem lidado com essa situação? Me conta aqui nos comentários!