Reflexões sobre festas infantis

Programa Renascendo após a Maternidade
11/10/2016
Você faz parte do grupo de risco para ter Depressão Pós-parto?
22/11/2016

Reflexões sobre festas infantis

Olá,

Algum tempo se passou desde minha última postagem aqui no blog. Mas é que os últimos meses foram de intensas descobertas, aprendizados, entrega e trabalho. Se você não acompanhou toda essa movimentação eu te explico. De setembro até hoje (03/11) eu entreguei todo o meu conteúdo em um Workshop Online e Gratuito e logo após lancei o meu primeiro programa de coaching para mães que querem se redescobrir depois da maternidade. Depois que acabou este lançamento fui me dedicar as minhas queridas mães do programa e como se já não fosse muito, inventei de fazer uma festinha para comemorar os 4 anos do meu filhote mais velho, o Davi. E é sobre a festa do aniversário do Davi que eu quero conversar contigo hoje e, por consequência, propor uma reflexão sobre festas infantis.

Pode parecer estranho eu tratar disso aqui no blog do projeto Renascendo após a maternidade, mas tenho certeza que as mães que acompanham o meu trabalho, também podem se beneficiar das reflexões que eu faço sobre esta temática. A ideia deste texto não é te dar dicas de como fazer uma aniversário bacana para o seu filho e nem será um manual do que fazer ou não. Afinal, eu prezo para que toda mãe siga a SUA intuição e a SUA própria maternagem. Mas, se antes de imaginar e organizar cada detalhe desta comemoração, você quiser refletir o que significa comemorar uma data tão importante para sua família, continue lendo este texto!


Aniversário sempre foi algo que passou despercebido na minha vida. Confesso que nunca dei a devida importância e também nunca fiz questão de festa. Porém, as coisas tendem a mudar após a chegada de um filho e você passa a valorizar as pequenas conquistas. Meus meninos tiveram todas as comemorações possíveis – chá de fraldas, batizados e aniversários – mas desde o princípio havia um dilema interno comigo, pois sempre senti que as festas deveriam ser focadas no mundo infantil e, depois que eles nasceram, para eles curtirem; e não festa de adulto.

As pessoas tendem a falar que aniversário de 1 ano, por exemplo, é para os adultos, mas eu discordo. Há formas de fazer festa focada na criança desde a mais tenra idade; porém é preciso abrir mão de algumas idealizações que temos do que seja uma festa infantil. Está no nosso imaginário popular uma festa onde os adultos batem papo, comem e bebem; enquanto as crianças estão com os animadores, os personagens vivos ou nos jogos e máquinas que populam uma casa de festa. Mas, se estamos comemorando justamente a vida desta criança, não seria mais real se os adultos focassem sua participação na festa em brincar e comemorar justamente com o aniversariante e seus amigos?

Pensando nisso e tentando mais uma vez aproximar as festinhas dos meninos de algo que eu acredito ter mais haver com a nossa família, me propus a fazer a festa de 4 anos do Davi da forma mais simples possível (sim, tem hora que a gente pira e quer comprar todas as decorações de festa possíveis, mas me contive) e focada nas crianças. Tenho o privilégio de ter uma área externa bacana aqui em casa e por isso também foi uma festa caseira. Aproximei Davi desta comemoração desde o planejamento. Antes de eu idealizar o que seria, perguntei a ele o que ele queria. Estavam em sua lista: pula-pula; um carro grande , uma pista para o carro grande e um semáforo grande; o tema era do carro verde (que na verdade é todo e qualquer desenho de carro que ele assiste no youtube); e teria que ter suco de uva e maça; gelatina e bolo de banana. Percebam como eles não idealizam o que nós idealizamos para uma festa.

Depois deste planejamento com o meu filhote, pensei nas formas de transformar esses pedidos em algo que nós mesmos poderíamos fazer ou que fosse feito também de forma simples. Então, se ele queria um carro grande, talvez alguns pudessem pensar naquelas motocas elétricas (e eu sei que foi naquilo que ele pensou, pois ele andou em um destes recentemente em uma festa), mas eu preferi comprar (sim, porque falta um pouco de habilidade) um carro de papelão. O sinal fizemos também com caixas de papelão e a pista foi desenhada no chão com fita adesiva amarela. Poderia ser melhor? Com certeza, mas foi o suficiente para abrir um sorrisão nos mocinhos aqui de casa. Esse é só um exemplo de como podemos complicar um pedido de uma criança ou transformá-lo em simples.

A comida foi quase toda feita por mim, mas não se engane, eu tô longe de ser uma exímia cozinheira. E eu admito que quis terceirizar isso; porém, os meninos são alérgicos e meu único contato qfesta infantil simplesue fazia comida de festa sem leite, não estava mais trabalhando com isso. Fazer uma festa toda com leite e uma ou outra coisa sem leite, somente para eles comerem, estava longe de cogitação. Valorizo muito a inclusão deles, principalmente na suas próprias festas. Então, comprei algumas poucas coisas para os adultos comerem que tinham leite; mas todo o resto foi feito por mim e sem leite. Em alguns momentos os meninos foram para a cozinha junto comigo para ajudarem no cardápio. Foi mais uma forma do Davi participar ativamente da sua festa.

A decoração foi a básica, confesso que comprei balão e aqueles canudos lindos de papel, mas esqueci de encher o balão e de utilizar os canudos. Foquei em deixar uma mesa bacaninha e farta de alimentos gostosos e também focada nas crianças. Eu prezo por uma festinha sem aquelas “tranqueiras” de doces mas, depois de 4 anos de maternidade, já abri mão para o brigadeiro em dia de festa (sem leite, claro).

Para a criançada brincar, pensei em várias coisas e executei poucas. O tempo não colaborou muito e, apesar de calorzinho, não estava o suficiente para dar banho de mangueira e brincar de jogar balão d’agua. Mas, rolou pintura na parede, o pula-pula, pistas de carrinho, a pistona com os carros de papelão e aviões de papel feitos pelo papai do Davi. A cereja da festa foi perguntar o que estava faltando na mesa do bolo e escutar das crianças: O booooolo! Então, os convidei para me ajudar a fazer o bolo da festa do Davi e, logicamente, todos se alegraram com isso.

brincadeiras para festa infantilbrincadeiras para festa infantilbrincadeiras para festa infantilbrincadeiras para festa infantilbrincadeiras para festa infantil

carrinho para festa infatilbolo festa infantilbolo festa infantilbolo festa infantilbolo festa infantil

Após o bolo ficar o tempo devido no forno e depois dele dar aquela esfriadinha, chegou a hora de colocá-lo na mesa e chamar os convidados para o parabéns!

festa infantil simples

Pronto, os pais curtiram aquela festa diferente e também conseguiram socializarem entre si. Não é porque a festa é focada nas crianças, que os pais não podem conversarem e aproveitarem o tempo,  porque sei que nesta vida  corrida nossa, essas festinhas também serve para aproximar os adultos. As crianças brincaram muito, pude observar o quanto eles se divertiam. E o Davi? Bom, o Davi estampou um sorriso no rosto e se manteve na energia da sua festa até de noite, quando não aguentou mais e foi dormir. Já no dia seguinte me perguntou quando ia ser a festa dele de novo!!! rsrsrs

Ah, a lembrancinha foi um vasinho, com terra e uma semente para as crianças plantarem. Além de um copo de carrinhos, dentro de uma sacolinha verde. Aprendi há pouco tempo o poder das crianças observarem o nascimento de uma planta, seu desabrochar e também a sua morte, em alguns momentos. Apesar disso não ter relação alguma com a temática da festa, eu acredito que tenha sido uma lembrancinha que perpetue o que a festa representou para nós: a vida é simples, basta plantar, regar e cuidar com carinho dela!

lembrancinha festa infantil

Houve também uma tentativa de fazer uma troca de brinquedo entre as crianças. Eu coloquei no convite que gostaria que cada criança trouxesse um brinquedo que não utilizasse mais para fazer esta troca, assim todas sairiam com brinquedos novos daqui. Porém, não deu certo. Acho que a idade deles ainda não permite tanto desprendimento. Alguns trouxeram o brinquedo com dificuldade e outros esqueceram de trazer, por isso cancelei esta brincadeira. Afinal, a intenção era proporcionar alegria para as crianças. Ano que vem tentamos novamente!

Todo este compartilhamento aqui não é para te ditar como deve ser a festa do seu filho ou filha. Mas, para que você sempre reflita quando for fazer uma festa de aniversário para sua criança, se tudo aquilo que você tem planejado está pautado no principal: a alegria e diversão do aniversariante. Se sim, seja como for: em casa ou na casa de festa; com uma mesa cheia de personalizados ou simples; com ou sem “tranqueiras” de doces; com bolo simples ou todo confeitado; com animador ou só com uma musiquinha gostosa… Tenho certeza que será a melhor festa de todas! Pelo menos, até que chegue a do próximo ano! =)

E se você quiser sentir também essa energia que senti no dia do aniversário do meu filho, CLIQUE AQUI e veja o vídeo com os melhores momentos!

Até o próximo texto!

Bianca Amorim

 

Bianca Amorim
Bianca Amorim

É, em primeiro lugar, MÃE do Davi (03 anos e 11 meses) e Lucas (2 anos). Profissionalmente, é Psicóloga perinatal e Life Coach certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching desde 2012. Idealizadora do projeto Renascendo após a maternidade”, onde direciona seus conhecimentos como Psicóloga, Coach e Mãe para outras mulheres que desejam se redescobrir depois do nascimento dos filhos. Autora do ebook gratuito Renascendo após a maternidade: 3 passos para se redescobrir depois do nascimento dos filhos. Palestrante.

5 Comentários

  1. Adorei a ideia dessa festa. Não poderia imaginar como deixar uma criança participar tao ativamente da produção da sua própria festa.
    Como você fez para as crianças ajudarem na hora do bolo?

    • Bianca Amorim disse:

      Jacqueline, eu deixei separado os ingredientes, levei para um local baixo e cada uma foi me ajudando a colocar os ingredientes. Teve confusão? Claaaaro que teve, os adultos também ajudaram a dar calma e tranquilidade para quem ninguém se atropelasse! rsrsrs… Mas cada uma conseguiu colocar algo e mexer o bolo. Depois foi para a forma e forno!

      Espero ter ajudado! Grande beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *