Como os grupos de mães podem te apoiar

Diferenças entre terceirizar e ter rede de apoio
23/08/2018
Como criar uma rede de apoio?
06/09/2018

Você já pensou em fazer parte de um grupo de mães? Eles são muito proveitosos e trazem bastante relevância para mulheres que procuram saber mais sobre a maternidade. São três tipos de grupos de mães e eu te convido a continuar a leitura do texto para conhecê-los.

Experiências semelhantes

 

Nos grupos de mães, o recomendável é que seus filhos estejam na mesma faixa etária. Esta premissa é fundamental para que o pós-parto e o puerpério sejam mais tranquilos para todos.

 

O intuito dessas reuniões, que podem acontecer por encontros presenciais ou por meios tecnológicos (internet, grupos de bate-papo) é promover a interação entre mulheres que já passaram por diversas situações na criação de seus filhos, encorajando a troca de experiências.

 

Por este compartilhamento de informações você perceberá que não é a única a passar por algum empecilho ou desafio provocado pela maternidade, e o que pode ser feito em cada caso.

 

Como eu citei acima, são três os grupos de mães. Falarei de todos eles abaixo.

 

Grupos de mães para mães

 

A mãe que brinca com seu filho na pracinha do bairro, que mora no seu edifício, que participa de aulas para a gestante ou para o bebê (ioga, ginástica, pilates, música, psicomotricidade, natação), pode fazer parte do seu grupo. É uma modalidade de encontros onde há apenas mães, sem profissionais mediadores, apenas para conversar e trocar informações.

 

Você pode achar que não tem nada de útil para compartilhar, mas, com certeza, durante os encontros você perceberá que conversou muito e que aprendeu dicas valiosas, que facilitarão a rotina de sua casa. Que tal partir de você a iniciativa de convite para a formação de um grupo?

 

Profissional como mediador

 

Se você preferir, também é possível ter um grupo de mães com um profissional como mediador. Ele não precisa ser um psicólogo (veja adiante), mas pode ser o responsável pelo cine materna de sua cidade, ou por uma das modalidades que mencionei acima.

 

O intuito do profissional é reunir mães e promover uma roda de conversa, servindo como mediador nos encontros. Além de ser uma forma de socialização com aprendizado, a mulher participa de atividades importantes para a sua convivência com seu filho.

 

Também pode partir de você a iniciativa de formar esse grupo de mães. Para isso, você pode conversar com o profissional e verificar com ele o interesse de mediação de um possível grupo com as mulheres que participam daquela atividade com você.

 

Grupo com fins terapêuticos

 

Aqui, sim, o mediador é um psicólogo. Neste grupo, há necessidade de ter o profissional porque a mulher não está conseguindo passar por um ou mais desafios da maternidade, e ela precisa de ajuda (do psicólogo e de outras mães) para ultrapassá-los. Além de conseguir apoio profissional, ela consegue auxílio pelas conversas entre todos.

 

Contudo, para que os resultados possam ser percebidos, é importante que o grupo com fins terapêuticos seja fechado, isto é, com número limitado de participantes, e que as mulheres e o psicólogo se comprometam com a confidencialidade do que foi mencionado nas conversas.

 

Formação de vínculos

 

Além de tudo que já foi falado, gostaria de citar que os grupos de apoio pra mães servem também como uma formação de vínculos. Você aprenderá dicas interessantes com outras mulheres e/ou com mediadores de diversas áreas, que facilitarão o convívio em suas casas, e a conversa e o auxílio constantes certamente farão com que belas amizades sejam formadas.

 

É bastante fácil fazer parte de grupos de mães, e eu recomendo fortemente que você se interesse pela idéia e seja membro de uma. Ou então que você tome a iniciativa de formar um grupo no seu meio de convivência, porque será bastante proveitoso para a sua família.

 

Grupo Online Renascer

 

Ser mãe é desafiador, angustiante e solitário! E eu vivo isso na pele, como mãe de dois, e também já vivenciei isso com centenas de mães que acompanho. Mas isso pode ser diferente!

Com apoio e acolhimento de todos os lados. É preciso poder falar, sem ser julgada e com empatia. É preciso também conhecer de outras realidades, para que você observe que não é só com você.

Por isso, estou reiniciando o Grupo Online Renascer!

Neste espaço virtual, eu e outras 8 mães, que estão vivendo o mesmo momento de vida nos encontraremos para compartilhar nossas vivências e emoções com o objetivo de ajuda- las a entender as transformações que estão vivenciando.

Para se inscrever, é só acessar: http://psicologia.renascendoaposamaternidade.com.br/grupo-online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *